Retinopatia hipertensiva: o que é e como tratar

Saiba o que é a retinopatia hipertensiva e conheça alguns dos tratamentos desta doença. 

A retinopatia hipertensiva é uma lesão na retina e está associada à hipertensão, ou seja, à pressão alta. Ela acontece quando a pressão arterial do paciente está alta e acaba refletindo nos vasos sanguíneos presentes na retina, estrutura do olho que é responsável pela formação da imagem. Entenda como a retinopatia hipertensiva atinge os olhos do paciente, podendo ocasionar a perda de visão, e saiba quais tratamentos existem para reduzir os danos da lesão. 

O que é retinopatia hipertensiva? 

A retinopatia hipertensiva ocorre quando a pressão arterial elevada causa alterações nos vasos sanguíneos na retina do paciente. As paredes dos vasos ficam mais grossas, o que dificulta a passagem do sangue. Desta forma, o oxigênio e os nutrientes necessários, que devem ser carregados por toda a retina, ficam limitados, não chegando a toda a superfície. Áreas da retina que não recebem o fluxo sanguíneo adequadamente podem sofrer lesões, como perda parcial da visão. 

Além disso, pode haver o crescimento de neovasos – vasos superficiais -, que são mais frágeis e correm o risco de serem rompidos. Caso isso aconteça, o sangue se espalha pela retina, causando a perda parcial da visão, principalmente caso o sangue atinja a mácula, que é a parte central da retina. 

Retinopatia hipertensiva: sintomas 

Os sintomas da retinopatia hipertensiva podem não aparecer nos primeiros estágios da doença, fazendo com que o paciente só tenha ciência da complicação quando esta atingir níveis mais sérios. Quando perceptíveis, os sintomas podem ser redução de visão, sensibilidade à luz (fotofobia) e dores de cabeça. As hemorragias e o acúmulo de líquido na retina ainda podem agravar a redução de visão. 

Além dos sintomas, a retinopatia hipertensiva pode causar trombose venosa da retina, catarata, descolamento de retina, hemorragia vítrea e glaucoma. 

Quais são os tratamentos da retinopatia hipertensiva? 

A retinopatia hipertensiva não tem cura, entretanto, há tratamentos que podem impedir que o quadro se agrave. 

O tratamento principal é o controle da hipertensão. Assim, é necessário que o paciente com pressão alta tenha os cuidados para que sua pressão não se eleve demais, para que não haja obesidade, alto nível de colesterol, diabetes, entre outras coisas. Entre os cuidados, destaca-se a atenção com a boa alimentação com redução no consumo de alimentos com sódio e a prática de exercícios. 

Se houver a necessidade de reparações na retina, como quando há emeda macular, o paciente pode ser submetido ao tratamento com laser, chamado fotocoagulação, diminuindo o vazamento das veias rompidas e o risco de hemorragia vítrea e distorção da retina. 

Além desses, há também a injeção de medicamentos nos olhos, tratando o crescimento de neovasos e o edema macular. Ou ainda, a cirurgia de vitrectomia, indicada para casos mais graves. O processo cirúrgico trata a hemorragia vítrea e o descolamento de retina. 

Para prevenir as complicações da retinopatia hipertensiva, o paciente hipertenso precisa, além de cuidar de sua saúde, cuidar da saúde de seus olhos, uma vez que corre o risco de desenvolver a retinopatia hipertensiva e só perceber quando ela estiver em seu estágio mais avançado. Assim, é importante que ele compareça regulamente ao oftalmologista para fazer consultas e exames, a fim de ter o diagnóstico o mais cedo possível e fazer o tratamento adequado antes que a visão do paciente seja comprometida.  

Central da Visão possui clínicas afiliadas em diversas cidades do Brasil com oftalmologistas especializados em retinopatia. Além disso, a Central da Visão negociou com suas clínicas afiliadas preços mais acessíveis para a consulta e tratamentos de retinopatia. Para receber os preços clique aqui ou ligue 0800-608-2130. 

 

Importante! 

Esse texto busca sensibilizar os pacientes a buscarem tratamento oftalmológico. Só o médico oftalmologista é capaz de diagnosticar e indicar os tratamentos e/ou cirurgias mais indicadas. Texto revisado pela Dra. Bárbara Nazareth Parize Clemente, CRM SP: 169506, Título Especialista (RQE): 74181. Médica oftalmologista graduada pela Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde / PUC-SP, residência médica no Hospital de Olhos Aparecida, subespecialização pelo Instituto da Visão IPEPO. 

Caso seja necessária alguma retificação desse conteúdo, por favor, ligue grátis para 0800-608-2130.

Copyright PagMed. Todos os direitos reservados.

Termos de Uso - Política de Privacidade

Copyright PagMed. Todos os direitos reservados.

O site da Central da Visão é de propriedade da Pagmed Meios de Pagamento Especializados e Prestação de Serviços Administrativos Ltda. registrada sob o CNPJ 25.186.815/0001-38