Tudo o que você precisa saber sobre retinopatia diabética

Saiba o que é retinopatia diabética, suas causas e sintomas, os principais tratamentos e como prevenir essa doença. 

A retinopatia diabética é uma doença que afeta diretamente os diabéticos. Trata-se de uma lesão não inflamatória na retina, parte do olho responsável pela formação da imagem. Causada pela diabetes mellitus, é uma das principais causas de cegueira entre jovens e adultos.  

O que é retinopatia diabética? 

Retinopatia diabética é quando a diabetes afeta os olhos do paciente, atingindo os vasos sanguíneos de sua retina e podendo gerar o risco de manchas e até cegueira. A diabetes mellitus causa alterações nos vasos sanguíneos do paciente, por conta do alto nível de glicose, e essas alterações também podem chegar até a retina. 

Quando os vasos da retina sofrem essas alterações, eles ficam mais frágeis, podendo romper a qualquer instante. Quando rompidos, o sangue se espalha pela retina, deixando manchas e dificultando a visão. Quanto mais sangue se espalhar, mais manchada ficará a visão do paciente, e a progressão da doença ao longo do tempo pode fazer com que o paciente perca por completo a visão. 

Quais os tipos de retinopatia diabética? 

A retinopatia diabética tem dois tipos: a não proliferativa e a proliferativa.  

A retinopatia diabética não proliferativa é a doença de estágio inicial a severo. Na fase inicial, há a dilatação dos vasos sanguíneos e a sua fragilização. Na fase moderada e severa, os vasos podem ser bloqueados, impedindo que o sangue chegue a todas as partes da retina com os suprimentos necessários.

Já a retinopatia diabética proliferativa é a doença mais grave, apresentando um alto risco à visão do paciente. Os nevasos começam a crescer, e, se rompidos, podem ocasionar diferentes problemas, como hemorragia vítrea, que causa o embaçamento da visão; descolamento da retina, causadas por cicatrizes formadas no vítreo, uma estrutura interna do olho; e glaucoma neovascular – o crescimento dos neovasos faz com que a pressão do olho suba e machuque o nervo óptico. 

Quais os sintomas da retinopatia diabética? 

A retinopatia diabética, em sua fase inicial, não apresenta nenhum sintoma, embora a vista do paciente já tenha complicações. Os sintomas de visão borrada, redução e distorção da visão e aparecimento de manchas pretas na visão vão aparecer já na retinopatia proliferativa. Por isso, é importante que o paciente com diabetes consulte o seu oftalmologista regularmente para fazer exames, principalmente o de fundo de olho, para que caso seja diagnosticada a retinopatia diabética, ela seja tratada o quanto antes.  

Como tratar a retinopatia diabética? 

Embora a retinopatia diabética não tenha cura, uma vez que a possível perda de visão é irreversível, existem tratamentos que podem reduzir a perda de visão e prevenir o avanço da doença. Inicialmente, é preciso que o paciente seja muito disciplinado no controle da diabetes e siga o tratamento prescrito pelo seu médico.  

Só um médico oftalmologista, por meio de análises clínicas e exames, pode indicar o tratamento correto para controlar o avanço da retinopatia diabética. 

Um dos tratamentos é a aplicação de laser sobre a retina, chamado fotocoagulação. No caso de um edema na mácula (edema macular), o laser, quando aplicado, diminui o vazamento de sangue dos vasos rompidos, prevenindo que a perda de visão seja maior. Já na retinopatia proliferativa, o laser é aplicado em toda a retina, exceto na mácula, e tem como objetivo desfazer os neovasos, diminuindo o risco de hemorragia vítrea e distorção retiniana. 

Também é possível fazer o tratamento com medicamento, como antiangiogênicos e corticoides. Enquanto os antiangiogênicos evitam que neovasos cresçam na retina, os corticoides tratam o edema macular. Os dois medicamentos são aplicados por meio de injeções intraoculares, na clínica oftalmológica.  

Além desses, ainda existe a cirurgia de vitrectomia, uma microcirurgia, indicada para casos mais graves de retinopatia diabética, quando ocorre hemorragia vítrea e descolamento de retina.  

Como prevenir a retinopatia diabética? 

A prevenção é o melhor tratamento para a retinopatia diabética. O tratamento disciplinado da diabetes e o controle rigoroso de glicose no sangue é uma ótima maneira de evitar que a diabetes desenvolva complicações e atinja os olhos, comprometendo a visão de maneira definitiva.  

O diagnóstico precoce é fundamental para que a doença seja tratada o quanto antes, evitando que a perda de visão seja maior e até total. Para isso, pacientes diabéticos devem ter consultas oftalmológicas, no mínimo, uma vez por ano, para fazer exames como o de fundo de olho e outros. Gestantes também devem ter este cuidado, uma vez que a retinopatia pode progredir durante a gravidez. 

Central da Visão possui clínicas afiliadas em diversas cidades do Brasil com oftalmologistas especializados em retinopatia. Além disso, a Central da Visão negociou com suas clínicas afiliadas preços mais acessíveis para a consulta e tratamentos de retinopatia. Para receber os preços clique aqui ou ligue 0800-608-2130. 

Importante!

Esse texto busca sensibilizar os pacientes a buscarem tratamento oftalmológico. Só o médico oftalmologista é capaz de diagnosticar e indicar os tratamentos e/ou cirurgias mais indicadas. Texto revisado pela Dra. Bárbara Nazareth Parize Clemente, CRM SP: 169506, Título Especialista (RQE): 74181. Médica oftalmologista graduada pela Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde / PUC-SP, residência médica no Hospital de Olhos Aparecida, subespecialização pelo Instituto da Visão IPEPO.
Caso seja necessária alguma retificação desse conteúdo, por favor, ligue grátis para 0800-608-2130.

Copyright PagMed. Todos os direitos reservados.

Termos de Uso - Política de Privacidade

Copyright PagMed. Todos os direitos reservados.

O site da Central da Visão é de propriedade da Pagmed Meios de Pagamento Especializados e Prestação de Serviços Administrativos Ltda. registrada sob o CNPJ 25.186.815/0001-38